Skip to content

Um mundo psicodélico – pt3 (cap1)

June 21, 2010

A história de Kirin

Sentado à beira do caminho

Sentado na elevação de pedras que dava vista para o vale, que seu Clã vinha dominando há muitas luas, Darth não prestava atenção ao belíssimo pôr de sol que despontava.
Os raios da grande luz estavam ficando vermelhos e tingiam as nuvens e vales de tons vermelhos e laranjas.
Algumas nuvens pareciam brincar, criando formas gordas e risonhas do dia a dia.

Normalmente Darth teria apreciado mais um final de dia como esse. Mas hoje não.

Ele estava concentrado no primeiro desenho que havia sido feito no seu braço há muito tempo.

Darth - (Arte Renato Xavier)

Aquele desenho tinha sido feito pelo seu próprio pai; um Sinth, naquela época.
Era o desenho de um Rouwar, aquele gato grande e dentuço que ele tinha tanto medo quando pequeno.

O próprio pai de Darth havia coletado as cinzas que fariam o desenho, na montanha que dava fundo ao seu Crãn.

O pai havia picado o braço de Darth com um osso fino embebido naquelas cinzas misturadas com banha durante muito tempo.
Foi muito dolorido, mas depois que ficou pronto, Darth havia virado um caçador.
Tudo isso foi feito após Garth tomar o chá e enfrentar o seu maior medo.

O desenho no corpo era magia.
O meu desenho – Darth lembrou – foi o gato dentuço. Aquele maldito.
Quanto medo eu tinha dele e agora ele está aqui no meu braço preso e dominado.
Matou meu pai, mas agora é minha alma e carne.
Eu o matei e comi também!

Darth tinha a idade de todos os dedos das mãos e mais os dois menores de um pé naquela época.
Essa lembrança era o que o incomodava, preocupava e dava alegria.
Seu próprio filho, Kirin, ia virar um caçador nessa noite.

Darth já havia separado as cinzas, a banha e, o mais importante, já havia feito o chá que Kirin iria tomar.

O chá!
Esse era o segredo – pensou Darth – gastei muito tempo procurando os cogumelos, raizes, folhas e flores certas.

Sem o chá, Kirin não poderia enfrentar o seu pior inimigo e não poderia morrer e nascer novamente. Não seria um caçador. Ele tinha de enfrentar o seu inimigo.

Mas qual seria o inimigo de Kirin? – pensou Darth.

A grande luz já estava abaixo do fim do mundo e o céu era de um azul profundo, quase negro.
Darth saiu dos seus sonhos e lembranças e foi para o Crãn procurar Kirin.

(…Continua)

Advertisements
No comments yet

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: