Skip to content

Canalha

March 17, 2010

Esse post é só para lembrar que boas coisas existem, mas também existe a CANALHA!

É uma dor canalha
Que te dilacera
É um grito que se espalha
Também pudera
Não tarda nem falha
Apenas te espera
Num campo de batalha
É um grito que se espalha
É uma dor
Canalha
(Walter Franco – Vela Aberta – 1980)

Desafio – qual é a música?

March 17, 2010

Estou preparando um podcast especial sobre a cena musical psicodélica no Brasil, nos anos 60/70.

Revirei na minha audioteca, fiz uma indexação nos meus neurônios, fui pesquisar sites de amigos e reuni muita coisa maravilhosa.

Não fale com paredes! Ou não?

Então me deu uma tristeza imensa. Eu tinha 4000 lps e outros tantos milhares de cds. Digitalizei tudo e vendi para sebos e particulares.

E a tristeza foi mesmo em pensar que já faz tempo que eu não compro nada de bom.

Nem nacional, nem internacional. Nada realmente empolgante. Nada que eu possa dizer: isso veio para ficar e mudar.

Hoje eu compro música em formato digital. Uma ou outra faixa.

Mais tristeza ainda em pensar que no Brasil o que faz sucesso, o que está na mídia e naquilo que é investido são as bandas medíocres. Nem vou citar os nomes. Vocês sabem. Filhos de produtores, de amigos de produtores, de donos de gravadoras. Essas bandas são um produto de marketing. Produto ruim, diga-se de passagem.

A maioria dos “músicos” de hoje não sabem NADA da história da música.
E tampouco a grande mídia, que deveria preservar aquilo que é bom, faz alguma coisa para divulgar e resgatar nossa memória artística e cultural.

Para demonstrar o que estou falando, vai aí um petisco do podcast, com duas músicas sensacionais. São brasileiros, claro.

http://www.technecom.com.br/podrx/desafio.zun

Mandem o link para os artistas e celebridades de hoje, que vocês conhecem (usem o twitter, blogs, etc), e vejam se eles sabem responder o nome do artista (ou banda), nome da música e álbum.

Para uma pessoa que vive de música e cultura não deve ser difícil, né?

Até mais!

Podcast #3 – Peiote e Wachuma * Mescalina

March 12, 2010

Olá!

Mais podcast muito especial. Hoje com o convidado Cristiano Porfírio, o @narotadorock, jornalista, escritor e rockeiro do site www.narotadorock.com.

Nesse podcast levaremos uma papo agradável sobre mescalina, peiote, cactos e tudo mais, com uma trilha sonora muito legal.
Aproveitem.

Soundtrack
Rollins Band – Illuminator
Anekdoten – From Within
The Move – Brontosauros
Sopwith Camel – Dancin’ Wizard
King Crimson – Happy Family
The J.B. Pickers – Freedom of Expression
Ministry – Jesus Built My Hotrod
The Doors – Roadhouse Blues

http://www.technecom.com.br/podrx/mescalinax.zun

Um mundo psicodélico – pt 2

March 10, 2010

Viemos do Big Bang e passamos por Lucy (a Australopithecus) contando a evolução da psicodelia em nosso mundo.

Seguindo na nossa linha do tempo, vamos agora ver a:

A história de Kráhr e Gee

“Há 1,5 milhões de anos Kráhr apressou o passo para chegar logo a caverna de seu clã. Ele tinha urgência.
Trazia consigo, enrolados em uma folha larga, algumas pedras, lascas de carne crua e uns poucos cogumelos que havia encontrado.

Kráhr esteve caçando com T´zee, a sua fêmea. Eles tiveram de espantar alguns concorrentes. T´zee voltou para a caverna antes de Kráhr. Ela não gostava da escuridão.

Kráhr estava em grande agitação. Durante o dia ele viu, por acaso, que aquelas pedras que carregava, quando batidas uma na outra, soltavam línguas de Gee. Ele agora queria bater as pedras dentro da caverna, brincar com elas e soltar mais línguas de Gee.

Quando chegou a caverna seu clã dormia.
Ele cuidadosamente espalhou no chão o conteúdo da folha que carregava. As pedras, os cogumelos e as lascas de carne se aninharam no musgo seco.
Kráhr sentou, comeu um punhado de cogumelos e uma lasca de carne para matar a fome e ficou brincando com as pedras, tentando fazer brotar as línguas de Gee.

Muitas vezes ele tentou e fracassou. Não conseguia fazer as línguas de Gee aparecer.
Irritado jogou as duas pedras que estavam em sua mão nas outras que haviam ficado no chão.
Então, aconteceu.

Apareceu uma maravilhosa língua de Gee que, encontrando um pouco de musgo seco, transformou-se no grande Gee.
Kráhr ficou abismado. Ele tinha feito o grande Gee aparecer. Não o pavoroso Brruntbum que caia do céu quando chovia.
Ele, só ele, Kráhr, fez o Gee!

Pensou em acordar o clã e mostrar aquilo, mas os cogumelos começaram a fazer efeito e Kráhr viu que o grande Gee estava falando com ele.

Contando uma história!

E Gee contou muitas outras histórias que Kráhr não entenderia.

Nessa história que Gee contou, Kráhr se viu como uma fêmea menor que ele, olhando o céu.


Depois viu um macho maior que ele, mais forte e menos peludo copulando com uma fêmea sem pelos. Ele sabia que aquele macho também era ele.

E Gee contou muitas outras histórias que Kráhr não entenderia.

Como a história das pedras que rolavam levando coisas e dos clãs tão grandes que ele não poderia contar nos dedos.

Por fim, Kráhr dormiu sabendo que teria uma coisa espantosa para mostrar ao seu clã quando a grande Luz surgisse no horizonte.

Kráhr foi pai de 8 filhos – 3 homens e 5 mulheres – e macho de três fêmeas do seu clã.
Kráhr morreu 7 anos depois de ter descoberto como acender o Gee, em uma batalha com outro clã.
Um dos seus filhos, Turkn, morreu com 11 anos na sua primeira caçada.”

Em 1984 Kamoya Kimeu descobriu o esqueleto do menino no Quênia, África, às margens do Lago Turkana.


Ficamos por aqui. Em um próximo post, mais dessa linha do tempo psicodélica.

Até lá!

As Mulheres Super PsicoSexyDélicas

March 9, 2010

O universo das heroínas e vilãs das histórias em quadrinhos, filmes e games é uma área livre para as PsicoSexyDélicas mulheres, com muita atitude e pancadaria.

Do figurino (as vezes mínimo) aos poderes (as vezes máximos), tudo tem um toque de psicodelia.

Vejam abaixo as mulheres mais PsicoSexyDélicas que eu gostaria de levar uma surra.

Se você clicar em cima das imagens abrirá uma nova página com a imagem em tamanho full.

Boa diversão.


Aeon Flux - Assassina e bela. Vive no futuro e é cheia de problemas existenciais.

Barbarella - Aventureira espacial e ninfomaníaca. * Tank Girl - Muito porra louca e sexy. Dirige um tanque de guerra! * Trinity - Até o Neo ficou apaixonado por ela. Senta o braço, a perna e balas.

Betty Boop - Independente, provocadora, andava de cinta liga e decotes até o umbigo. Cantora.

BloodRayne - Dhampir, meia humana e meia vampira. Prepare o pescoço.

Cheshire - Mutante, unhas envenenadas, rápida e... assassina.

Domino Harvey - Filha inglesa do ator Laurence Harvey, ex-manequim que depois trabalhou como caçadora de recompensas em Los Angeles. Morreu de overdose acidental de medicamentos em 27 de junho de 2005.

Elektra - Ela é uma ninja, assassina e muito sexy.

Emma Frost - mutante Psionica com enorme capacidades telepáticas e outras habilidades. Mas quem se importa?

Faye Valentine - Passado incerto... Jogadora e   compradora compulsiva. * Psylocke - Cheia de poderes, essa mutante é um   problema com esse fio-dental.

Faye Valentine - Passado incerto... Jogadora e compradora compulsiva. * Psylocke - Cheia de poderes, essa mutante é um problema com esse fio-dental.

Leeloo - Milla Jovovich em o Quinto Elemento... Milla é Milla.

Mystique - Mutante azul (já é bem louco) e ainda pode se transformar em qualquer mulher que você quiser!

Sil - O mostro dá medo, mas a Natasha...

White Rabbit - Inimiga do Homem Aranha. Coelhinha de primeira. * Lola Bunny - O Pernalonga é apaixonado por ela. Compreensível. * Jessica Rabbit - Linda, sexy, fiel e cantora.

Red Sonja - Essa guerreira ruiva só vai se entregar ao homem que vencê-la em uma batalha. Eu tentaria

Rogue - Mutante com habilidade de sugar a vitalidade, memória e poderes de outros seres vivos através do contato com a pele. Só amor platônico.

Sheena - Cresceu na selva (aliás é a Rainha da Selva). Se comunica com os animais e luta como um. Usa uma roupa selvagem...

Power Girl - Dá para ver o poder dela, não? * Supergirl - Concorrente da Power Girl. Uma anatomia muito bela, recheada de super poderes. (na dúvida fico com as duas)

Vampirella - Ela é uma vampira extraterrestre que não achou nenhuma roupa da Terra interessante. Na jugular!

Wonder Woman - Mulher Maravilha, me amarra!


Se você tem alguma heroína ou vilã que não apareceu na minha lista, mande um recado!

Até a próxima!

The White Rabbit – O Coelho Branco

March 8, 2010

O famoso Coelho Branco, personagem de Alice no País das Maravilhas de Lewis Carroll, aparece como citação indireta, e direta, diversas vezes, em vários segmentos da cultura pop.

O seu significado é algo enigmático. O Coelho Branco está sempre apressado e atrasado, para algo que ele não revela. Alice o segue, entra na toca e começa a sua aventura.

Na verdade a frase “Follow the White Rabbit” não existe no livro de Lewis Carroll e sim “Down the Rabbit Hole” – Descendo na Toca do Coelho, que é o nome do primeiro capítulo do referido livro.

Diga “Follow de White Rabbit” – Siga o Coelho Branco,  se quiser mandar alguém para uma viagem ao desconhecido. É uma metáfora metafísica para o despertar em uma outra Realidade.

Diga “Down the Rabbit Hole” – Caia na Toca do Coelho, se quiser se referir a uma trip com algum tipo de alucinógeno, que pode ou não levar a uma viagem ao desconhecido.

Então, sigamos o Coelho Branco para localizar onde ele é citado:

Jogos de Computador
Em American McGee’s Alice, o Coelho Branco é responsável pelo retorno de Alice ao País das Maravilhas.

No jogo de ação e RPG, Kingdom Hearts, e seu Game Boy Advance follow-up, Kingdom Hearts: Chain of Memories. (PlayStation 2)

Jogo da Rockstar – Manhunt possui um nível chamado “Kill the Rabbit“.

Televisão e filmes

Em LOST, o Coelho Branco é citado várias vezes na série. Primeiro é o nome de um episódio; depois Locke diz que Jack está perseguindo o coelho branco na forma de seu pai. White Rabbit é também o símbolo da estação Looking Glass e também usa um relógio.

No filme chamado The Care Bears Adventure in Wonderland, o Coelho Branco é retratado como tio Swift Heart’s.

Em Star Trek, perto do início do episódio de 1966  “Shore Leave”, o Coelho Branco aparece para o Dr. McCoy.

Neo é instruído a seguir o “White Rabbit”, em The Matrix. Segundos depois, sua campainha toca e, quando ele abre a porta, ele encontra uma mulher com uma tatuagem de um coelho branco em seu ombro. Mais tarde, antes de encontrar o Oráculo, podemos ver em uma televisão o filme Night of the Lepus, simbolizando a decisão Neo de seguir o coelho branco e de perturbar a ordem da matriz.

No filme Knowing, um par de coelhos brancos é dado para as crianças, pelos “homens sussurro”.

No filme, Nick and Nora’s Infinite Playlist, Nick e Nora estão tentando encontrar a onde a banda de “Where’s Fluffy” está tocando. Nora encontra desenhos de coelhos brancos em um banheiro e os seguem para encontrar a localização do show.

Em Alice (SyFy TV Miniseries), The White Rabbit é uma organização secreta que trabalha para a Rainha de Copas e rapta pessoas do mundo real (conhecido como “ostras”), assim eles podem jogar no cassino da Rainha.

Em Wizards of Waverly Place, The White Rabbit corre no rio dizendo: “Estou atrasado!”. Ele é interpretado por Jake T. Austin.

Durante o casamento de Aladdin  e o Rei dos Ladrões, da Disney, Genie nota que casamento foi iniciado sem que ele percebesse e que quase perdeu seu papel na festa. Ele se transforma no Coelho Branco e corre para fora da sala, dizendo: “Estou atrasado, estou atrasado, para um encontro muito importante”.

Literatura

Na graphic novel O Cavaleiro das Trevas, Bruce Wayne relembra ter sido perseguindo por um coelho branco quando criança e cair num buraco do coelho antes de seu primeiro encontro com os morcegos.

Em The Looking Glass Wars, o Coelho Branco é re-imaginado como Bibwit Harte, um tutor albino com audição super sensível.

No Jurassic Park (livro), whte_rbt.obj era um vírus de computador programado como backdoor no sistema por Dennis Nedry para uma rota de escape.

Em Rainbows End, o coelho é um(a) “Mysterious Stranger – Estranho Misterioso”, que organiza grandes eventos nos bastidores, sem jamais revelar sua identidade.

Música

Jefferson Airplane gravou uma canção chamada “White Rabbit“, com referências a este personagem e a saga Wonderland, em geral, como metáforas para a ocorrência de experiências induzidas.

noflutter.deviantart.com

Marilyn Manson gravou uma canção chamada “Are you the Rabbit?”  para o seu álbum “Eat Me, Drink Me”.

White Rabbit foi destaque no logotipo da banda sérvia Alisa (o nome da banda é o análogo eslavo para o nome de Alice).

O Blue Man Group, em 2003  no álbum The Complex,  fez a música White Rabbit com referências à saga Wonderland em geral.

Screaming Tea Party ‘s tem a música “Reckless Rabbit” com a letra: “Meu nome é Alice e  estou seguindo o Coelho Branco”.

Disney
Na versão Disney do livro, O Coelho foi dublado por Bill Thompson.

The Rabbit Disney fez algumas aparições na série original do Disney Channel, House of Mouse. Sua aparição mais notável foi quando ele confessou a Clarabela que  não estava atrasado e  não tinha um encontro. Diz ainda: “Eu sou uma fraude!” Ele foi dublado por Corey Burton.

The White Rabbit também aparece no Walt Disney Parks and Resorts como um personagem.

Outras influências

Uma máquina de cavar trincheiras desenvolvida pela Royal British Navy no início da Segunda Guerra Mundial, era originalmente conhecida como White Rabbit No. 6, mas o nome foi mudado para Cultivator No. 6 para esconder sua identidade.

E é claro que o White Rabbit aparece em Alice in Wonderland de Tim Burton.

Melhor ainda, poderemos agora ver o famoso Coelho Branco, psicodélicamente em 3D!

Não se atrase!

Se você conhece outras referências ao misterioso coelhinho com relógio, mande um comentário!

Até o próximo post!

Podcast #2 – Psylocibes * Psilocibina

March 5, 2010

Uma  viagem  agradável falando sobre os cogumelos psylocibes e ouvindo um som fantástico.
Divirta-se!

SoundTrack

Mystic Tide – Psychedelic Journey pt.1
Pacific Sound – The Drug Just Told me
Frame – Frame Of Mind
Stone The Crows – Blind Man
It´s A Beautiful Day – Hot Summer Day
Camel – Preparation
Magical Power Mako – Restraint, Freedom
La Revolucion De Emiliano Zapata – Under Heavens
Andy Roberts – Queen of The Moonlight World
Strawberry Alarm Clock – Rainy Day Mushroom Pillow

http://www.technecom.com.br/podrx/Psylocibes.zun